sexta-feira, 19 de março de 2010

Tiro de Guerra de Cametá

Origem dos tiros de guerra
A origem dos tiros de guerra (TG) remonta ao ano de 1902, quando se fundou em Rio Grande (RS) uma sociedade de tiro ao alvo com finalidades militares – esta, a partir de 1916, no impulso da pregação de Olavo Bilac em prol do serviço militar obrigatório, transformou-se, com o apoio do poder municipal, nesse tipo de organização militar tão essencial à formação de reservistas brasileiros. 
A formação do Atirador
O objetivo dos TG é formar reservistas de 2ª categoria aptos ao desempenho de tarefas no contexto da Defesa Territorial e Defesa Civil. A formação do atirador é realizada no período de 40 semanas, com uma carga-horária semanal de 12 horas, totalizando 480 horas de instrução. Há um acréscimo de 36 horas destinadas às instruções específicas do Curso de Formação de Cabos – um terço desse tempo é direcionado para matérias relacionadas com ações de saúde, ação comunitária, defesa civil e meio ambiente.
O TG é um bom exemplo de como é possível conciliar a prestação do serviço militar obrigatório com as atividades civis dos jovens convocados.
Os TG participam de ações comunitárias, como projetos com crianças e adolescentes em situações de risco social, campanhas de vacinação e de prevenção de enfermidades, recuperação e conservação de escolas públicas, entre outras.
Na Amazônia, os TG têm cooperado para o desenvolvimento local com a promoção de atividades de qualificação profissional.
Regiões da Amazônia afastadas dos grandes centros urbanos brasileiros por distâncias consideráveis têm, dessa forma, oportunidade de garantir a permanência de sua juventude nos municípios onde estão instalados os TG – jovens que, além do preparo para a guerra, são peças fundamentais no desenvolvimento da Amazônia Brasileira. 
Exército Brasileiro
Disponível em: <http://www.exercito.gov.br/06OMs/Tiroguer/008/008-001/indice.htm>. Acesso em: 20 mar. 2010.


O Tiro de Guerra de Cametá é o pioneiro do Pará. Foi criado pela Port 8.747, de 31 Out 47, do Ministério da Guerra. Nesse período já formou cerca de 6000 atiradores e monitores. Ocupa sua terceira sede na Cidade. A primeira, no largo de S. João, posteriormente mudou-se para a Praça dos Artistas onde é hoje o atual Museu Histórico de Cametá "Raimundo Penafort de Sena"(foto), onde ocupou sua segunda sede . Hoje localiza-se na Av. Euclides Figueiredo, em frente o SENAI.

Em 1946, o 2º Sargento Alexandre Henrique da Fonseca,  primeiro instrutor, formou a  turma pioneira do TG, que desde sua criação já conta com 18 instrutores.


Um comentário:

gessica disse...

gostaria de saber,se podem me informar o paradeiro de um morador de cametá.Ele se chama Benedito Barros que foi há muito tempo vereador conheçido como (pé de arruda)sou amiga há muito tempo na epoca da politica,e gostaria muito de localiza-lo uma vez que mudei do estado e perdi contato,agora retornando estou em busca de noticias.caso tenha alguma informaçao meu email para contato (darcilia65@hotmail.com)obrigada