domingo, 20 de novembro de 2016

EM CAMETÁ, NO RIO FURTADOS NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS TEM NOVA IGREJA


AGRADECIMENTO PELAS AJUDAS NA CONSTRUÇÃO DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

Prezados Amigos
É tão gostosa a sensação de usar pela primeira vez uma casa nova construída com tanto esmero, sacrifício, suor e com muita ajuda e cooperação de nossos amigos.

Mais prazeroso ainda é poder partilhar de seu conforto com a nossa família e receber com alegria nossos parentes e amigos.

Esta festa que hoje se encerra, além de ser uma festa de louvor a Deus, nossos anjos, santos e a nossa Senhora das Graças, é uma festa de agradecimento  e gratidão a todos nós e nossos antepassados, que sonhamos, trabalhamos e vivenciamos a construção e reconstrução desta bonita e confortável Casa de Oração.

É quase impossível e pouco aconselhável ficarmos aqui tentando nomear todas as centenas de pessoas que dedicaram o seu trabalho e auxílio financeiro na construção desta igreja, pois, fomos todos nós que estamos aqui, muitas pessoas que não puderam estar aqui e outras que já partiram para a eternidade pelas quais rogamos a Deus por elas.

Agradecer pela igreja nova sem buscar a sua História é trair a memória de nossos antepassados, dos nossos ancestrais. A História desta igreja é a nossa própria História e a História do Rio Furtados. Este torrão encantador onde nasci, vivi minha infância, cresci, deliciei minha adolescência, parti, voltei, sofri com as dores normais de sua vida, mas  ainda gozo de suas belezas e prazeres.

Por tudo isso, permitam-me recorrer a saudosas lembranças e agradecimentos, em memória, a pessoas que foram baluartes históricos desta igreja:

Ao senhor Mariano dos Santos e sua esposa Raimunda dos Santos, primeiros proprietários deste terreno e líderes na construção da nossa primeira Igreja.

Ao senhor Juzico Cabral e sua esposa América dos Santos (Tia Mirica), continuadores e Zeladores daquele saudoso oratório por longos anos.

À senhora Maria do Carmo dos Santos, também Zeladora e doadora de uma parte do atual terreno para a construção da nova Igreja.

Ao senhor Raimundo Inácio Ferreira, desenhista da fachada da nossa antiga, histórica e saudosa igreja. Este desenho foi mantido na nova igreja, em sua memória, e por escolha da comunidade local. Mestre Mimico, como era conhecido, também foi decorador e cooperador em muitos outros trabalhos em nosso querido Santuário.

Entre nossos cooperadores atuais, permitam-me homenagear e agradecer, em especial:

Aos senhores Engenheiros Zezinho Cabral e Marcelo Valente pelos seus valiosos trabalhos desenhando a planta deste Santuário, supervisionando e orientando a construção desta casa.

 Agradecemos ainda, ao sr José Maria e família da Paróquia de  Nossa Senhora do Carmo na pessoa do Padre Benedito Gurupá, pelo valioso apoio e ajuda.

Mais uma vez obrigado a todos nós que estamos aqui pertencentes a esta comunidade ou a outras comunidades vizinhas, pelo nosso trabalho, doações e
orações

Fomos nós que fizemos a construção e a reconstrução desta linda igreja com os nossos antepassados e todos estamos de parabéns.

O nosso muito obrigado e que Jesus e nossa Senhora das Graças nos acompanhe e abençoe!


sábado, 28 de maio de 2016

OBRAS DE CAMETAENSES EM EXPOSIÇÃO NA XX FEIRA PAN-AMAZÔNICA


No Centro de Convenções da Amazônia, durante a XX Feira Pan-Amazônica do Livro em Belém do Pará, no período de 27 maio a 4 Jun 2016, no ESTANDE DO ESCRITOR PARAENSE,  ao lado da praça de alimentação da Pan-Amazônica, você encontrará entre mais de 200 autores paraenses as obras dos escritores cametaenses, de localidades como:   Rio Furtados, Mendaruçu de Cima, Vila do Carmo, Cuxipiari,  e Cametá.

De Flodoaldo Santos, ribeirinho do Rio Furtados, " O PORTO DE CAMETÁ NO ESPAÇO DE CIRCULAÇÃO, onde:
  "A geografia ciência se junta a geografia vivida pelo autor em sua história com a Cidade (...) e nos permite enxergar as tramas políticas e ideológicas que enredaram o debate sobre o porto e sobre a erosão (...)"
Prof. Giovane Mota
Departamento de Geografia da UFPA


De Relivaldo Pinho, ANTROPOLOGIA E FILOSOFIA - EXPERIÊNCIA E ESTÉTICA NA LITERATURA E NO CINEMA DA AMAZÕNIA Obra resultante da tese de doutorado do autor, defendida no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFPA, sob a orientação do professor Ernani Chaves. A pesquisa foi vencedora da edição 2012 do Prêmio Professor Bendito Nunes da UFPA, coordenado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp) e atribuído à melhor tese de doutorado defendida no âmbito dos Institutos de Filosofia e Ciências Humanas, de Ciências da Arte e de Letras e Comunicação da UFPA.

Você também poderá deliciar-se com a leitura 
do novo livro do professor, poeta e escritor cametaense Arodinei Gaia intitulado "O MISTÉRIO DO QUARTO FECHADO" que será lançado na feira no dia 03 Jun às 2100 horas e promete emoções e mistérios. 

Estão ainda em exposição na feira os seguintes livros de nossos escritores cametaenses:
ANTOLOGIA DE POETAS CAMETAENSES, de Arodinei Gaia em co-autoria com  9 poetas entre eles Alberto Mocbel, Altamir Sassim, André Estumano, Dagoberto Barros, Francisco Mendes, João Batista, Luizão Barros, Miguelângelo Mocbel e a ilustradora Jalva Teles. 
ATURIÁ, de João Batista Pantoja;
RAIZES DO TOCANTINS, de Altamir Sassim Dias;
O TEU ESFORÇO É A MEDIDA DO TEU LIMITE, de Arodinaldo Gaia de Souza - AROGAS;
CASOS COM A PORTUGUESA, de  Arodinaldo Gaia de Souza - AROGAS;
JOÃO VITÓRIA; de Arodinaldo Gaia de Souza - AROGAS
A FETRACOM NO MOVIMETO SINDICAL, de Haroldo Barros;
FRAGMENTOS DO MOVIMENTO SINDICAL NO PARÁ, de Haroldo Barros; 
O BOTO SEDUTOR, de Haroldo Barros; 
O IMAGINÁRIO DA REPÚBLICA EM CAMETÁ, de Haroldo Barros; 
SERVINDO A DEUS NA AMAZÔNIA TOCANTINA, de Admilson Freitas.
 Fontes:
XX Feira Pan-Amazônica - Stand de Escritores Paraenses
Facebook - Claúdio Cardoso

quinta-feira, 31 de março de 2016

31 de março de 64: Golpe militar ou Revolução Democrática?


Por Flodoaldo Santos
Escritor, Geógrafo e Militar

Eu tinha apenas 10 anos de idade. Não sou testemunha ocular!

O que li na maioria dos livros de história e em debates vivenciados durante minha formação acadêmica foram, na maioria dos casos,  afirmações de "golpe de estado", "ditadura militar" e "golpe militar" tendo como patrocinador os EUA.  Golpe que tal como os demais  infelicitaram a história da América Latina. Por outro lado, o que me foi ensinado, exaltado e comemorado na caserna foi a ideia de "Revolução Democrática que salvou o Brasil do comunismo e  totalitarismo de esquerda".
 
A Wikipedia afirma que “a historiografia brasileira recente defende a ideia de que o golpe, assim como a ditadura que se seguiu, não deve ser considerado como exclusivamente militar, sendo, em realidade, civil-militar. Segundo vários historiadores, houve apoio ao golpe por parte de segmentos importantes da sociedade: os grandes proprietários rurais, a burguesia industrial paulista, mais grande parte das classes médias urbanas (que na época girava em torno de 35% da população total do país) e o setor conservador e anticomunista da Igreja Católica (na época majoritário dentro da Igreja) que promoveu a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, realizada poucos dias antes do golpe, em 19 de março de 1964”. No entanto, em A verdade Sufocada, o  Gen Div (Res) Ulisses Lisboa Perazzo Lannes, do Clube Militar, acredita que “Como qualquer data histórica, comemorar a Revolução de 31 de Março de 1964 requer serena reflexão, para que possamos efetivamente entendê-la, avaliá-la, exaltá-la e dela retirar ensinamentos.
Porque, ao comemorá-la e proclamar seus feitos e ideais, o que fazemos é buscar a fé e a inspiração para continuar a lutar pela preservação das liberdades democráticas da Nação e a trabalhar pela construção de uma Pátria justa... e pelo bem do Brasil!”

Hoje vivemos uma dicotômica visão política, jurídica, midiática, popular e ideológica parecida. Será o provável impeachment da Presidente Dilma um golpe ou um evento político e social, legal, perfeitamente amparado na constituição e que representa os anseios da maioria dos brasileiros?

É uma pergunta que, a meu ver, só a história, ou as histórias nos darão uma resposta ou respostas.Hoje temos esse jogo de ideias que maltratam a mente de nosso povo, nossos estudantes, nossos adolescentes e jovens, nosso homem do campo, nossos ribeirinhos tocantinos e o cidadão brasileiro em geral; jogo ideológico da verdade entre perdedores e ganhadores, socialistas e capitalistas, elitistas e plebeus, cristãos, judeus e muçulmanos..., é assim na faixa de Gaza. No Brasil já estão matando por intolerância religiosa e ideológica, preconceitos de cor, contra homossexuais e outros motivos mais, com armas diversas.

  Em minhas visitas recentes pelos Rios Cametaenses; Furtados, onde nasci, Ilha Grande, onde também moro, e rio Mendaruçu. Rios de minha vida. Onde tenho muitos dos leitores de minha obra, O Porto de Cametá no espaço de circulação, sou testemunha que a grande maioria dos ribeirinhos, mesmo os não petistas, tem restrições mas são simpáticos a dupla Lula X Dilma e não anseiam pelo afastamento da presidente  por motivos diversos tais como:
- possíveis perdas de benefícios sociais,
- querem em primeiro lugar o afastamento de Renan Calheiros e Eduardo Cunha,
- temem o agravamento da crise após o afastamento da presidente Dilma,
- não aceitam o  presidente da câmara Eduardo Cunha, no comando do processo de impeachment e
- diversos outros motivos.
Fontes:


quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

O PERIGO DAS FOSSAS SANITÁRIAS INSTALADAS SEM ORIENTAÇÕES TÉCNICAS



DEBATE ENRIQUECEDOR SOBRE FOSSAS SÉPTICAS EM ILHAS.
É urgente a necessidade do despertar da consciência política e comunitária para este tema que pode, juntamente com outros temas, como o acúmulo inadequado do lixo,  transferir às Ilhas Cametaoaras, ainda muito saudáveis, todos os problemas ambientais e sanitários dos centros urbanos! Tais como: contaminação do solo e do rio, proliferação de mosquitos, entre eles o Aedes aegypti, que transmiti as doenças conhecidas por dengue, zika vírus e chikungunya, contaminação das pessoas por bactérias, verminoses e demais doenças afins.
Veja um relevante debate com o geógrafo da UFPA, Professor Luiz de Jesus Pacheco de Almeida, em sua página, no Facebook, postada em 24 Jan 2016, com o título:
Fossas sépticas ajudam na produção agrícola e na preservação ambiental,